sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

ILAÇÕES SOBRE O TEMPO 1

O Tempo é uma continuidade existencial que se mede em ciclos. Pelo menos do nosso ponto de vista dimensional. E a Natureza evolui ao longo do tempo, sempre se renovando e reformulando.

A Humanidade, enquanto parte da Natureza, não está alheia a esse sistema mutável. E se pensar que o pode controlar ou influenciar de algum modo, é pura arrogância. Poderemos quanto muito evitar algumas nefastas consequências sobre a nossa integridade. E pouco mais.

Olhando o comportamento da humanidade no presente, poderíamos parabolizar como sendo um cego num quarto sem porta, procurando a saída. 
Criámos um monstro/civilização que nos escraviza e devora. Deixámos que ele se agigantasse e agora perdemos a firmeza na trela; somos arrastados pelo monstro. E ele dirige-se para o precipício!... 
Mas essa é a nossa oportunidade: o caos!

Até agora, ao longo da nossa História, nós Humanos éramos o nosso principal inimigo. Na nossa mesquinhez, era através da necessidade de ganhar vantagem material nas guerras e disputas, que aplicávamos todo o nosso engenho em melhoramentos tecnológicos, que depois em tempos de paz se revelavam benéficos com aplicações úteis no nosso quotidiano.

Agora que evoluímos até um estado em que somos capazes de promover a nossa própria extinção, passou a Natureza a ser o nosso maior inimigo. Esta a nossa grande oportunidade de dar o Grande Salto em Frente.

3 comentários:

Serginho Tavares disse...

será que se a gente parar de contar o tempo tudo seria melhor?

ManDrag disse...

Salve! Meu querido Serginho

Claro que não podemos parar o tempo, né. Mas se não o contarmos com ansiedade deve ajudar um pouco a melhorar.

Beijo.

Salutas!

Paulo - Intemporal disse...

F
e
l
i
z

2
0
0
9

Onde a saúde seja o maior bem alcançado e porta aberta para a felicidade suprema.

Abraço[-te] ManDrag,

Paulo