quinta-feira, 18 de setembro de 2008

"É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!"

A grande moda política da actualidade é a Democracia.

A Democracia divinizada pelos USA e pela União Europeia. A Democracia evangelizada e impingida, nem que seja pela força das bombas, por esse mundo fora; sem sequer questionar se os povos locais estão interessados nessa democracia, ou mesmo culturalmente aptos a viver nela.

A Sacrossanta Democracia doutrinada como panaceia para todos os males sociais e políticos. Mas uma democracia tão franzina na sua debilidade, porque minada de corrupção e interesses mais $elevados$. Uma Democracia que pouco tem de política.

Antes fazia-se política, discutia-se política; a política governava. Eram os políticos, democratas ou não, quem governava.
Agora gere-se a política, administra-se a política, investe-se a (e na) política. Os políticos deixaram de ser os governantes para serem os aplicadores das directrizes economicistas ditadas pelos senhores, que na sombra, gerem os destinos do mundo.

Eu não sou democrata e tenho muitas suspeitas quanto à verdadeira justiça do sistema governativo democrático.
A Democracia, por princípio, é sempre a vontade da maioria; logo imposta sobre a minoria. E eu como membro duma minoria serei sempre um elemento secundário nesse sistema sociopolítico; um cidadão menor, um cidadão de segunda.

Não me venham com essa conversa-da-treta de que as Constituições Democráticas salvaguardam os direitos humanos, assim como os direitos das minorias. É tudo balela!

A própria criação de instituições de solidariedade social para a defesa e integração das minorias é prova de como as minorias são espezinhadas pela ditadura da maioria. A Ditadura da Democracia é orientada por massivas campanhas de marketing político (a que muito polidamente se dá o nome de campanhas eleitorais), com objectivo de dissimular através do voto as orientações previamente determinadas em gabinetes incógnitos.

Os rituais mantêm-se, mas os vermes parasitários correm atarefados por trás dos cortinados e reposteiros. A Vetusta Honra dos Grandes Salões perdeu a sua dignidade, para a voracidade da ganância desmedida e desumana.
Os eleitos governantes são apenas actores que lêem e executam um drama, escrito e encenado por autores desconhecidos das maiorias votantes e, esses senhores obscuros, esses sim são os verdadeiros governantes; os senhores todo-poderosos. Mas embora sejam esses senhores quem governe, não foram de modo nenhum eleitos pela maioria. Onde está a Democracia aí?

É lastimavelmente vergonhosa a manifesta incapacidade dos governantes democraticamente eleitos solucionarem os problemas sociais mais pungentes no mundo, como seja a fome, a guerra, o desemprego, a poluição desenfreada, ...

Não é mais a política quem governa. É a economia, estúpido!

11 comentários:

navegadora disse...

A economia tranformou-se em capitalismo desenfreado onde impera a lei do mais rico, quando há ganhos desenfreados os dividendos ficam para os ricos e poderosos, ao pobre só lhes resta continuar pobre e assistir ao desenrolar da "fogueira das vaidades". Quando o sistema entra em crise, quando colapsa, porque mal gerido e porque todos os monstros, por mais monstros que sejam, sempre têem um fim, então os primeiros a sofrer na pele a crise são mais uma vez os mesmos...os pobres. É estúpido...é mesmo estúpido a forma como o ser humano continua a cometer os mesmos erros, vezes e vezes sem conta...impérios caídos...erguidos que voltam a cair e assim sucessivamente. Para quando o RESPEITO pela vida humana? Para quando? Um abraço e que encontre bons momentos de serenidade neste viver desenfreado.

Aliete disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SILÊNCIO CULPADO disse...

ManDrag
Concordo com as vicissitudes que apontas à democracia mas... alternativas?
É preciso que nos conscencializemos de que o poder do poder, centrado na economia, mina e corrói os laços de solidariedade e de afectividade tornando as pessoas algozes do próximo e de si próprias. Porque quem vive rodeado de infelicidade apenas poderá ter com o poder e a riqueza simulacros de prazer e de bem estar que depressa se desvanecem.
Cabe a cada um de nós contribuir para que o vil metal não continue a ser a mola real das nossas existências recusando ser marionetas dum marketing comprometido do ponto de vista ético.

Abraço

Paulo disse...

ManDrag

É o mundo, de FORA para DENTRO, até sucumbirmos a todos os interesses.

Deixo-te um abraço e a saudade com que me presenteias sempre.

São disse...

Viva!
Sabes que concordo com tudo , mas que ponho a seguinte ressalva: a Democracia é o menos mau de todos os sistemas existentes.
Quanto ao poder da Economia e ás perversões do capitalismo sem lei nem regras de que estamos agora todos a sofrer as consequências, acho vergonhosa a atitude de Bush e quadrilha e respectivos apoiantes, que mandaram para as malvas todas as suas teorias acreca das virtudes da auto-regulação dos mercado e da livre concorrência e fazem recair no contribuintes o pagamebto da factura das suas incompetências e indeceências.
Um abraço.

ManDrag disse...

Salve! Navegadora
Sim, estamos vivendo num mundo de ganância desenfreada. Já nem capitalismo isto é. Pura ganância sem escrúpulos, é mesmo.
Muito nos falta para aprendermos o verdadeiro sentido de se Ser Humano.
Salutas!

ManDrag disse...

Salve! Lídia
As alternativas à democracia?... Elas estão a caminho; como sempre de forma enviesada, tal como tudo que é evolutivo na história da Humanidade. Mas talvez as fases da metamorfose não sejam as mais simpáticas e aprazíveis. Mas, como sempre, alguém tem de pagar as custas das mudanças.
Quanto à infelicidade... esta é uma sociedade que almeja o prazer, não da felicidade.
Sim cabe a cada um de nós mudar o rumo das coisas; um trabalho exigente que não permite cedências. Mas quantos de nós estaremos dispostos a ceder previlégios e comodismos?
SALUTAS!

ManDrag disse...

Salve! Paulo
Sempre bom ver-te pelas minhas casas.
Sim, é o mundo nos invadindo, nos escravizando, nos amputando de nós próprios. Mas é o mundo em que temos de nos Erguer e bramir a Espada da Vontade!
Saudações, Coração Guerreiro! Abraço telúrico.
Salutas!

ManDrag disse...

Salve! São, Amiga
A Democracia pode ser o mal menor, mas cabe-nos almejar o bem maior.
Quanto à recente tomada de medidas interventivas da Administração USA junto dos mercados financeiros, apenas vem provar como os governos estão dependentes dos Senhores da Economia.
E só essa expressão «mercados financeiros» demonstra a vergonhosa ausência de ética deste mundo ignóbil, em que se ganha dinherio especulando com o valor do dinheiro. Isso me recorda que uma das proibições do Islamismo, aos seus seguidores, é o ganharem dinheiro com o dinheiro. Assim pudesse a sociedade judaico-paulista(cristã) se gabar da mesma integridade moral.
Abraço.
Salutas!

Mário Relvas disse...

Caro Mandrag,
és de uma minoria. pois está claro que as minorias não são interessantes para as votações. As minorias dividem-se e desunem-se. Por vezes -quantas vezes- atacam-se e mordem-se perante uns senhores que dão uns trocaditos para se calarem...
è preciso que as minorias saibam estar. Deixem de se considerar minorias, mas cidadãos plenos.Que gritem os seus direitos e cumpram os seus deveres.

Um abraço

ManDrag disse...

Salve! Mário Relvas
Com todo respeito desculpa-me mas tenho de discordar dessa visão preconceituosa de que as minorias são uma cambada de desordeiros vendidos por uns tostões.
Podes talvez não ter querido dizer isso, mas é assim que as tuas afirmações soam. Talvez não tenhas lido o meu texto com a atenção que ele exige.
Eu e muitos milhares dessas minorias segregadas cumprimos com todos os nossos deveres e obrigações de cidadania. Pedimos que nossas diferenças sejam respeitadas e atendidas pelos decisores políticos. Mas há sempre a tentação de enfiar todos no mesmo saco. Tal como acabaste de fazer no teu comentário.
Um abraço.
Salutas!