quinta-feira, 18 de setembro de 2008

"É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!"

A grande moda política da actualidade é a Democracia.

A Democracia divinizada pelos USA e pela União Europeia. A Democracia evangelizada e impingida, nem que seja pela força das bombas, por esse mundo fora; sem sequer questionar se os povos locais estão interessados nessa democracia, ou mesmo culturalmente aptos a viver nela.

A Sacrossanta Democracia doutrinada como panaceia para todos os males sociais e políticos. Mas uma democracia tão franzina na sua debilidade, porque minada de corrupção e interesses mais $elevados$. Uma Democracia que pouco tem de política.

Antes fazia-se política, discutia-se política; a política governava. Eram os políticos, democratas ou não, quem governava.
Agora gere-se a política, administra-se a política, investe-se a (e na) política. Os políticos deixaram de ser os governantes para serem os aplicadores das directrizes economicistas ditadas pelos senhores, que na sombra, gerem os destinos do mundo.

Eu não sou democrata e tenho muitas suspeitas quanto à verdadeira justiça do sistema governativo democrático.
A Democracia, por princípio, é sempre a vontade da maioria; logo imposta sobre a minoria. E eu como membro duma minoria serei sempre um elemento secundário nesse sistema sociopolítico; um cidadão menor, um cidadão de segunda.

Não me venham com essa conversa-da-treta de que as Constituições Democráticas salvaguardam os direitos humanos, assim como os direitos das minorias. É tudo balela!

A própria criação de instituições de solidariedade social para a defesa e integração das minorias é prova de como as minorias são espezinhadas pela ditadura da maioria. A Ditadura da Democracia é orientada por massivas campanhas de marketing político (a que muito polidamente se dá o nome de campanhas eleitorais), com objectivo de dissimular através do voto as orientações previamente determinadas em gabinetes incógnitos.

Os rituais mantêm-se, mas os vermes parasitários correm atarefados por trás dos cortinados e reposteiros. A Vetusta Honra dos Grandes Salões perdeu a sua dignidade, para a voracidade da ganância desmedida e desumana.
Os eleitos governantes são apenas actores que lêem e executam um drama, escrito e encenado por autores desconhecidos das maiorias votantes e, esses senhores obscuros, esses sim são os verdadeiros governantes; os senhores todo-poderosos. Mas embora sejam esses senhores quem governe, não foram de modo nenhum eleitos pela maioria. Onde está a Democracia aí?

É lastimavelmente vergonhosa a manifesta incapacidade dos governantes democraticamente eleitos solucionarem os problemas sociais mais pungentes no mundo, como seja a fome, a guerra, o desemprego, a poluição desenfreada, ...

Não é mais a política quem governa. É a economia, estúpido!

11 comentários:

navegadora disse...

A economia tranformou-se em capitalismo desenfreado onde impera a lei do mais rico, quando há ganhos desenfreados os dividendos ficam para os ricos e poderosos, ao pobre só lhes resta continuar pobre e assistir ao desenrolar da "fogueira das vaidades". Quando o sistema entra em crise, quando colapsa, porque mal gerido e porque todos os monstros, por mais monstros que sejam, sempre têem um fim, então os primeiros a sofrer na pele a crise são mais uma vez os mesmos...os pobres. É estúpido...é mesmo estúpido a forma como o ser humano continua a cometer os mesmos erros, vezes e vezes sem conta...impérios caídos...erguidos que voltam a cair e assim sucessivamente. Para quando o RESPEITO pela vida humana? Para quando? Um abraço e que encontre bons momentos de serenidade neste viver desenfreado.

Aliete disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SILÊNCIO CULPADO disse...

ManDrag
Concordo com as vicissitudes que apontas à democracia mas... alternativas?
É preciso que nos conscencializemos de que o poder do poder, centrado na economia, mina e corrói os laços de solidariedade e de afectividade tornando as pessoas algozes do próximo e de si próprias. Porque quem vive rodeado de infelicidade apenas poderá ter com o poder e a riqueza simulacros de prazer e de bem estar que depressa se desvanecem.
Cabe a cada um de nós contribuir para que o vil metal não continue a ser a mola real das nossas existências recusando ser marionetas dum marketing comprometido do ponto de vista ético.

Abraço

Paulo disse...

ManDrag

É o mundo, de FORA para DENTRO, até sucumbirmos a todos os interesses.

Deixo-te um abraço e a saudade com que me presenteias sempre.

São disse...

Viva!
Sabes que concordo com tudo , mas que ponho a seguinte ressalva: a Democracia é o menos mau de todos os sistemas existentes.
Quanto ao poder da Economia e ás perversões do capitalismo sem lei nem regras de que estamos agora todos a sofrer as consequências, acho vergonhosa a atitude de Bush e quadrilha e respectivos apoiantes, que mandaram para as malvas todas as suas teorias acreca das virtudes da auto-regulação dos mercado e da livre concorrência e fazem recair no contribuintes o pagamebto da factura das suas incompetências e indeceências.
Um abraço.

ManDrag disse...

Salve! Navegadora
Sim, estamos vivendo num mundo de ganância desenfreada. Já nem capitalismo isto é. Pura ganância sem escrúpulos, é mesmo.
Muito nos falta para aprendermos o verdadeiro sentido de se Ser Humano.
Salutas!

ManDrag disse...

Salve! Lídia
As alternativas à democracia?... Elas estão a caminho; como sempre de forma enviesada, tal como tudo que é evolutivo na história da Humanidade. Mas talvez as fases da metamorfose não sejam as mais simpáticas e aprazíveis. Mas, como sempre, alguém tem de pagar as custas das mudanças.
Quanto à infelicidade... esta é uma sociedade que almeja o prazer, não da felicidade.
Sim cabe a cada um de nós mudar o rumo das coisas; um trabalho exigente que não permite cedências. Mas quantos de nós estaremos dispostos a ceder previlégios e comodismos?
SALUTAS!

ManDrag disse...

Salve! Paulo
Sempre bom ver-te pelas minhas casas.
Sim, é o mundo nos invadindo, nos escravizando, nos amputando de nós próprios. Mas é o mundo em que temos de nos Erguer e bramir a Espada da Vontade!
Saudações, Coração Guerreiro! Abraço telúrico.
Salutas!

ManDrag disse...

Salve! São, Amiga
A Democracia pode ser o mal menor, mas cabe-nos almejar o bem maior.
Quanto à recente tomada de medidas interventivas da Administração USA junto dos mercados financeiros, apenas vem provar como os governos estão dependentes dos Senhores da Economia.
E só essa expressão «mercados financeiros» demonstra a vergonhosa ausência de ética deste mundo ignóbil, em que se ganha dinherio especulando com o valor do dinheiro. Isso me recorda que uma das proibições do Islamismo, aos seus seguidores, é o ganharem dinheiro com o dinheiro. Assim pudesse a sociedade judaico-paulista(cristã) se gabar da mesma integridade moral.
Abraço.
Salutas!

Anónimo disse...

Caro Mandrag,
és de uma minoria. pois está claro que as minorias não são interessantes para as votações. As minorias dividem-se e desunem-se. Por vezes -quantas vezes- atacam-se e mordem-se perante uns senhores que dão uns trocaditos para se calarem...
è preciso que as minorias saibam estar. Deixem de se considerar minorias, mas cidadãos plenos.Que gritem os seus direitos e cumpram os seus deveres.

Um abraço

ManDrag disse...

Salve! Mário Relvas
Com todo respeito desculpa-me mas tenho de discordar dessa visão preconceituosa de que as minorias são uma cambada de desordeiros vendidos por uns tostões.
Podes talvez não ter querido dizer isso, mas é assim que as tuas afirmações soam. Talvez não tenhas lido o meu texto com a atenção que ele exige.
Eu e muitos milhares dessas minorias segregadas cumprimos com todos os nossos deveres e obrigações de cidadania. Pedimos que nossas diferenças sejam respeitadas e atendidas pelos decisores políticos. Mas há sempre a tentação de enfiar todos no mesmo saco. Tal como acabaste de fazer no teu comentário.
Um abraço.
Salutas!