sexta-feira, 30 de maio de 2008

CARMA, ESTUPIDEZ E ESPIRITUALIDADE

Reconheço a importância das figuras públicas aludirem às questões humanitárias pungentes do nosso presente, chamando assim a atenção dos mais distraídos sobre a importância de todos nos responsabilizarmos pelos males da humanidade. Mas que tal atitude seja tomada com tino e ponderadamente.

Ora nada disso acontece quando recentemente a actriz Sharon Stone aludiu à recente catástrofe sísmica que atingiu a região chinesa de Sishuan, como sendo resultante de mau carma acumulado pela China ao invadir e oprimir o Tibete. Boçalidade tamanha só revela uma estúpida ignorância e brutal cegueira vingativa. A afirmação é acima de tudo injusta e ofensiva para as populações atingidas pela tragédia, que nada têm que sofrer pelas políticas mais ou menos justas assumidas pelos seus governentes em relação a outros povos. E depois revela um tremendo desconhecimento do que é o carma.
O povo chinês só merece a nossa compaixão e solidariedade pelo tremendo sacrfício a que se tem sujeitado nestas últimas décadas com a política governamental do «filho único» e da qual todos os restantes habitantes do planeta têm beneficiado. Na China as famílias já não têm irmãos, tios, primos. As famílias chinesas estão se tornando troncos sem ramos. Deixam de haver árvores genealógicas e passam a haver apenas linhas genealógicas.
Que poderão sentir os pais que perderam neste terramoto o seu único filho perante as cruéis palavras da Srª Sharon Stone? Está ela preocupada com a independência do Tibete?! Cega consciência a sua, tão minada de rancor e sobranceria.

Vivemos o modismo do «New Age». Agora todos querem ser espiritualistas, todos querem ser vegetarianos, todos querem fazer yoga e meditação... todos querem atingir o paraíso na Terra. Todos se acham santos e dignos de falar como mestres, apenas porque não comem carne e leram uns livros de alguns autores indicados. A banalização da espiritualidade descambou em mercantilismo de mezinhas idiotas, senão mesmo anedóticas. Como se a troco de algumas moedas se ganhasse a Paz e a Sabedoria.

Eu não entendo o Carma como um sistema punitivo, mas sim como uma via evolutiva de crescimento e aprimoramento espiritual. E aí não há espaço para reveses punitivos, como que vingativos. Apenas almas mesquinhas ficam associando ideias de mau e bom ao Carma. A Natureza é amoral, ela não se rege por parâmetros de Mal e Bem. A compreensão do Carma implica uma Ética Superior das Leis que regem o Universo.

3 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

ManDrag

Um texto excelente mas que não me sinto muito avontade para comentar.
Sou pouco entendida em carmas mas concordo contigo sobre o rídiculo de certas afirmações e com o mau gosto com que os "novos profetas" nos entopem com estes novos paradigmas que ostentam como sabedoria.
Um abraço

luis disse...

Estou de acordo. Embora tudo o que acontece seja Kármico, o comentário da Sharon foi totalmente despropositado e ignorante.

São disse...

Como já temos analisado muitas vezes o tema, sabes que concordo em absoluto com o teu texto.
Pena é que as pessoas confundam tanto as coisas, ainda que por vezes com boas intenções!
Sharon Stone parece estar impregnada do espírito di Velho Testamento, onde Jeová castiga o povo de um soberano enganado el-próprio por um casal judeu.
Feliz semana.