sexta-feira, 18 de abril de 2008

HERANÇA EUROPEIA: USA

É fácil. É muito fácil ser-se anti-americano nos dias que correm. É muito fácil chamar idióta a Bush e estúpidos aos americanos. É até sintoma de aceitação socio-grupal ser-se anti-americano. Todos gostam de invectivar os americanos e as suas atitudes; tanto como povo, como a nível governamental. É fácil projectar nos poderosos a expiação de todos os nossos males.



Todos se esquecem do espelho quando se trata de apontar erros e defeitos aos outros. É com impressionante facilidade que ostentamos orgulhosamente a nossa cultura e os seus grandes feitos históricos, mas com idêntica facilidade nos distanciamos das repercussões desses feitos. Todos chafurdamos nesta cultura ocidental de imediatismo consumista e alienação economicista, mas logo nos apressamos a apontar o dedo aos USA quando se trata de pagar a factura para a manutenção deste estilo de existência (é deliberadamente que não lhe chamo estilo de vida). Os americanos é que têm sempre a culpa de todos os males. É com prontidão que os acusamos de com o seu estilo autista e endemoniado, propagarem e causarem todos os males do mundo.

Foram eles que invadiram desonestamente o Iraque e que trouxeram todo o infortúnio a esse país; como se o ocidente não estivesse também tirando vantagens do acesso facilitado aos poços petrolíferos da região.

São eles que propagam por todo planeta um estilo de consumo desregrado e irresponsável; como se esse estilo não fosse uma derivação da cultura que os seus antepassados lhes legaram.

E quem foram os antepassados dos americanos e da sua actual cultura?... Os colonizadores europeus, pois então! Os europeus! Os europeus!!!

A chamada cultura americana não é mais que a caldeação de todos os costumes e tradições que os egrégios colonos e emigrantes europeus para lá levaram. E não me venham com essa metáfora esfarrapada de que o Mayflower ia cheio de prostitutas e criminosos. Ao menos respeitem a memória dos milhões de emigrantes que ajudaram a moldar tão notável nação.



Todos gostam de afirmar a Democracia como o modelo político ideal, indicando a Europa como berço de tal sistema. Ora na antiga Helénica Atenas a Democracia era um sistema apenas para uma parte da sociedade (os homens livres atenienses) governar todo o restante corpo social. Durante a história moderna a tentativa de revitalizar tal sistema (a Revolução Francesa, com os seus ideais de Igualdade, Fraternidade e Liberdade) não passou dum imenso banho de sangue e vingança.

Ora foi nos USA que nasceu a Moderna Democracia, nos moldes que depois inspirariam as actuais democracias, disseminadas um pouco por todo mundo e vistas como o modelo governativo por excelência.



Eu não simpatizo com George W. Bush. Apelidar de néscia, é o mínimo que se pode dizer da sua governação. Mas uma coisa é um governante em trânsito histórico e outra uma Nação por ele governada.

Assim como procuro distinguir os bons exemplos de cidadania e solidariedade do povo americano, de alguns maus costumes do seu quotidiano.

4 comentários:

São disse...

Sim, é bom distinguir o Governo dos governados.
Sim, os antepassados foram europeus.

Mas os EUA libertaram-se de Inglaterra há dois séculos!
Daqui a pouco estás a dar razão a quem no Brasil ainda hoje acusa a colonização portuguesa ( que não pretendo branquear) de todos os seus males!!

Mas Bush falsificou a primeira eleição, não a segunda!

A sociedade norte-americana é uma sociedade doente e convencida, o que muito grave, de ser exemplar e da conveniência de exportar o seu modelo nem que seja á bomba!

Fica bem!

ManDrag disse...

Minha Amiga São!
O actual território dos USA foi pertença colonial da Espanha, da Holanda, da França e da Inglaterra. Não apenas desta última, embora tenha sido esta a última a debater-se contra a autonomia e independência da sua colónia.
Quanto à eleição de Bush... bem, parece que também na esclarecida europa não se fazem as melhores escolhas eleitorais (vide Portugal/Sóocrates;ou Itália/Berlusconi). Essa tua insinuação é demagógica, pois sabes bem que o sistema eleitoral americano não é de eleição directa. E em Democracia temos de respeitar as escolhas dos povos; ou será que o povo dos USA passará de besta a bestial se agora eleger Obama ou Hilary?
A sociedade "norte-americana" (como lhe chamas; convém lembrar que o Canada também fica na Amérisa do Norte e nada tem a ver com os USA) vive segundo um modelo civilizacional Ocidental tal como as sociedades dos países europeus, uma vez que esse modelo teve origem nas tradições culturais europeias. E quanto à exportação desse modelo... a Europa está sempre logo atrás dos USA nessas campanhas. E mais, os interesses económicos europeus, logo se atiram aos despojos dessas campanhas como necrófagos esfaimados. A Europa usa-se do poderio militar dos USA em proveito dos seus interesses económico/políticos.
Quando fechamos a mão para apontarmos um dedo aos outros, ficamos com três dedos apontando para nós próprios.
A vetusta Europa não pode andar sempre a pretender alhear-se da sua responsabilidade histórica de tudo aquilo que semeou ao longo do seu desenvolvimento civilazicional. Os USAs, os Brasis, as Austrálias, as Argentinas, As Venezuelas, As Cubas, As Indias e Paquistãos, As Angolas, os Canadas e muitos outros são seus filhos e herdeiros. Com o melhor e o pior que as sementes civilizacionais europeias lhes legaram.
Bom FDS e excelente show para logo.
Abraço!

São disse...

Quanta honra ter resposta...

Sabes, Senhor dos Dragões, que não é por eleger um/a democrata que vou considerar ter melhorado.
A primeira eleição foi falsificada na Florida e aquela confusão de boletins diferentes, enfim...

Sabes também que não poupo a Europa.

Nightwish é uma excelente banda e, ainda por cima simpática!!

Dorme bem!

Rifo I de Zeuquirne disse...

Por suposto que hai que diferenciar, cando se insulta a Bush, non se está a insultar ao Pobo Americano.
Eu cando moitos insultaron a Aznar, amiguiño do bush, nunca me sentin insultada nin considerei que os insultos fosen dirixidos á poboación española, inda que non podemos esquecer que a estes gobernantes elixímolos nos, así que tamén temos unha parte de responsabilidade nas accións que levan a cabo, porque esas accións están implícitas na súa ideoloxía.
Outra cousa:
Que os americanos queiran exportar a súa forma de vida por todo o planeta, non é culpa dos antepasados portugueses, españois, ingleses etc. ¿acaso non foron os mesmos colonizadores, os Europeos, os que colonizaron América do sur?, non vexo eu que sexan sociedades moi semellantes. Así que non sei moi ben o que queres dicir con todo isto.
Un saúdo.